Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SIMPLESMENTE AVÔ

Pedaços do dia-a-dia

SIMPLESMENTE AVÔ

Pedaços do dia-a-dia

04.03.19

PARABÉNS, ROSA!


simplesmente...

Nasceu a 4 de Março: hoje é o dia do seu aniversário natalício.

Conhecemo-nos no ano de 1967.

Casámos catolicamente um com o outro no ano de 1969, na Igreja Paroquial da freguesia de Benfica, em Lisboa.

O nosso matrimónio tem, pois, quase 50 anos.

Completará, aliás, 50 anos nos próximos dias deste mês de Março.

Meio século com alegrias e tristezas, felicidade e desgosto, nascimentos e mortes prematuras.

Sobrevivemos enquanto casal, não apenas na bonança, mas também nos temporais.

Fustigados pelos desaires mais cruéis, soubemos resistir.

Ela é, aliás, uma autêntica resistente.

Mantemos uma relação de recíproco respeito e de profunda afeição mútua.

Ela é carinhosa, solícita e respeitadora.

Não é servil, nem submissa, nem bajuladora.

Defende com firmeza e com convicção os seus pontos de vista.

É honesta e bem formada.

Ama as filhas e adora os netos.

Tem amadurecido com o decurso dos anos (gosta dos debates na tv, dos programas de culinária, dos shows de decoração de interiores, dos telejornais).

Alegra-se com os sucessos das Filhas e com as boas prestações dos Netos.

Adora passear com as Filhas e nunca recusa as idas aos Supermercados ou aos Centros Comerciais.

Diverte-se com as caminhadas, sobretudo à beira-mar.

Esvazia os bolsos para os outros e é quase incapaz de gastar um euro com ela própria.

Preocupa-se comigo.

É uma excelente companheira e uma esposa impecável.

PARABÉNS, ROSA!!!

Um beijo grande.

António.

 

 

 

 

 

 

 

 

02.03.19

MAFRA, ORDEIRA E ASSEADA


simplesmente...

A Vila prima pelo asseio. É assim desde que aqui habito, já lá vão quase 13 anos.

É ordeira. Os estabelecimentos comerciais encerram pelas 19H00. 

Logo que o sol se põe, não se vê vivalma nas ruas.

As muitas esplanadas, espalhadas pelas ruas e pelos largos, têm pouca gente durante os dias de semana.

Mas, aos fins-de-semana, a Vila, os estabelecimentos comerciais e as esplanadas enchem-se de gente.

Pessoas que moram por aqui, trabalham em Lisboa e, por isso, só passeiam por cá aos fins-de-semana.

Também há aqueles e aquelas que têm habitações secundárias na frondosas localidades circundantes  e que, aos sábados e aos domingos, vêm à vila fazer as suas compras.

Finalmente, já se começam a ver muitos turistas, que aqui vêm atraídos pela fama do Convento e Palácio de Mafra.

É, em síntese, um local muito agradável para viver.

Acresce que está a pouco mais de meia hora de Lisboa, quer de automóvel próprio, quer nos autocarros de transporte colectivo.

"Last but not least", tem aqui perto as formosas praias da Ericeira, onde os olhos se deliciam na contemplação do Oceano e os pulmões se expandem com a fresca e saudável brisa marítima.

E aqui está uma "composição" que qualquer uma das duas minhas Netas também seguramente produziriam.

 

 

01.03.19

PRAIA TRANQUILA E LIMPA


simplesmente...

Estamos em finais de Fevereiro, inícios de Março.

Admite-se, por isso, como esperável que haja alguma sujidade nas areias das praias.

Porém, fiquei realmente estupefacto ao pisar, ontem, os areais da praia de Santo Amaro de Oeiras.

As areias, na verdade, estavam, em toda a extensão da vasta praia, impecavelmente limpas.

Por aqui e por ali, alguns pequenos grupos de pessoas, sentadas ou deitadas no areal, fruíam a amena temperatura ambiente e as águas calmas do Tejo.

Um ou outro aventuravam-se, águas dentro, em inesperados banhos de mar.

O caniche esmerou-se em longas correrias, quer sozinho, quer perseguindo outros cães.

A Raquel e a Rita divertiram-se com a agilidade e a alegria esfusiante do pequeno animal.

Sentámo-nos na esplanada de madeira implantada na orla da praia.

As Netas não quiseram bolos, nem bolachas, nem outras guloseimas.

Uma pediu uma água, outra contentou-se com um sumo de laranja.

Eu bebi um café.

Infelizmente no bar não havia croquetes, alimento preferido do Caniche.

Chegaram, no entretanto, a Rosa e a Leonor, vindas ambas do Tribunal de Oeiras, onde a Advogada fora tratar dos assuntos de um cliente.

Regressámos todos a Carnaxide, com os pulmões mais arejadas e os neurónios menos poluídos.

Receita esta a repetir, sempre que surjam novas oportunidades.