Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SIMPLESMENTE AVÔ

Pedaços do dia-a-dia

SIMPLESMENTE AVÔ

Pedaços do dia-a-dia

26.05.21

PEREGRINAÇÃO


simplesmente...

 

santuario.jpg

 

Mês de Maio,

mês de Maria,

mãe de Jesus de Nazaré, o Ressuscitado.

 

 

Costumamos ir  em Maio  à Cova da Iria, numa espécie de peregrinação anual.

 

Convidámos desta vez a Carla Sofia, que em boa hora decidiu vir aqui para a vila de Mafra, onde está próxima de nós.

 

Saímos por volta das 9 horas, rumámos pela Autoestrada do Atlântico e, sem parança mas também sem pressa, chegámos ao Santuário na hora do terço e da missa.

 

Extensíssima era a fila de gente que se preparava para, porventura em cumprimento de promessas, lançar ao fogo múltiplas velas de cera,  próximo da Capelinha das Aparições.

 

Também eu lá pus uma pequena vela que ficou, bem acesa, a rezar por todos nós.

 

Entrámos os três na Basílica e, sentados nos bancos de madeira próximos do sepulcro dos Pastorinhos, elevámos os nossos pensamentos ao Alto, tentando conversar com o Deus Criador, expondo-Lhe as dúvidas, as incertezas, as  esperanças e os sonhos.

 

Almoçámos depos tranquilamente ,num simpático restaurante, próximo do recinto do Santuário.

 

Assim consolados os espíritos e confortados os corpos, regressámos  a casa, desta vez circulando comodamente pela A1, naquela hora com pouco trânsito.

 

Ficam-nos nos espíritos  nomeadamente as seguintes imagens.

. de peregrinos a descer, de joelhos, o pavimento do recinto;

 

.de fiéis literalmente carregados de velas de cera, tranquilamente esperando, numa imensa fila de gente, a ocasião de tudo queimar naquela espécie de fogo sagrado;

 

.de idosos de olhar tranquilo, sentados à sombra das árvores, numa espécie de muda contemplação da singular religiosidade das pessoas que, na Capelinha das Aparições, recitam avés-marias e pais-nossos, assim cumprindo as salvíficas instruções da Virgem de Fátima.

 

- Ainda temos de lá voltar este mês! – disse-me a Rosa, em tom convicto e doce.

 

Fátima, em síntese, é também isto mesmo: a vontade de lá ir, somada à vontade de lá voltar.

 

É, talvez, o apelo de Maria, mãe de Jesus de Nazaré, o Filho de Deus, nosso Salvador, e nossa Mãe também.